Como usar a inteligência emocional para melhorar a carreira

Se você está precisando de um incentivo para melhorar a carreira, que tal checar como anda sua inteligência emocional? Em um mundo cada vez mais VUCA, profissionais emocionalmente inteligentes estão diretamente ligados com o futuro do trabalho.

Quem explica sobre isso é Talita Cordeiro, consultora que atua em Gestão de Pessoas e Carreira. “A inteligência emocional é apontada em estudos que falam sobre o futuro do trabalho como uma competência essencial. Então, não só para o momento atual, mas para um futuro cada vez mais incerto e ambíguo, com as pessoas passando por múltiplas mudanças, lidar bem com as emoções e se conectar bem com outros é fundamental”, comenta. 

Inteligência emocional no ambiente de trabalho

Quem busca melhorar a carreira com inteligência emocional pode se questionar como isso é perceptível no ambiente de trabalho. Para Talita, a inteligência emocional está nas pessoas, por isso, no mundo corporativo, podemos enxergá-la em grupos e no convívio.

“Identificamos um grupo que tem profissionais emocionalmente inteligentes a partir das habilidades de comunicação, da prática da empatia, da geração de conflitos produtivos e que agregam valor ao trabalho, da construção e da colaboração em conjunto”, exemplifica.

Esses elementos demonstram que as pessoas de determinado grupo têm certo grau de inteligência emocional e estão aptos a desenvolver comportamentos muito produtivos e muito procurados, já que geram desempenhos efetivos, impactando diretamente nas metas e resultados.

Identificando sua inteligência emocional

A jornada para melhorar a carreira pode começar com a inteligência emocional. Segundo Talita, ela é mais fácil de ser identificada quando ela nos falta.

“Essa competência tem a ver com a minha relação e conexão comigo mesmo para poder me relacionar bem com os outros. Quando estamos em um momento de stress e não conseguimos controlar nossas emoções, não entendemos a perspectiva do outro ou repetimos padrões na nossa rotina e não conseguimos romper, identificamos a falta da inteligência emocional”, destaca.

Para a consultora, quando tudo isso flui de forma positiva, podemos comprovar a presença da inteligência emocional. “Um bom relacionamento comigo mesmo e uma boa gestão das próprias emoções se desdobram nas relações com os outros. Por isso talvez seja mais comum que outras pessoas reconheçam nossa inteligência emocional em sua presença.”

Dicas para melhorar a carreira com inteligência emocional

Desenvolver a inteligência emocional em um processo de melhorar a carreira pode ser um longo caminho e um desafio de uma vida inteira. “São várias etapas de autoconhecimento, autoconsciência, análise contínua e reflexão das próprias emoções”, diz Talita.

Pensando nisso, a dica da consultora é fazer um diário de emoções. “O exercício é entender os eventos do dia, as emoções que esses eventos provocaram e como você reagiu a cada uma dessas emoções. É usar cada momento da sua vida, da rotina, para se autoexaminar e entender que ação gerou aquela emoção e o que essa emoção trouxe de pensamentos e reações e como você efetivamente atuou diante daquilo”, aconselha.

Outro exercício indicado por Talita é ouvir ativamente. “Outro ponto importante da inteligência emocional é a capacidade de ter empatia e de se conectar com as emoções dos outros. Ouvir sem julgar e entender a perspectiva do outro sem usar a expressão ‘ao menos’. Por exemplo, se alguém te conta que está triste por determinado motivo, evite dizer, ‘mas pelo menos você tem essa outra coisa’. É tentar justificar menos e ouvir e acolher mais.”

Crises profissionais

O processo de melhorar a carreira pode levar a alguns momentos de crise profissional. E a inteligência emocional pode ser um caminho para ajudar a sair da crise ou mesmo evitar passar por ela.

“Isso porque a inteligência emocional promove a autoconsciência que leva a um bom relacionamento com redes de pessoas que podem ajudar em momentos de crise”, destaca Talita.

Saber a origem da crise e fazer perguntas mais profundas sobre o que realmente busca na vida profissional também ajuda a superar os momentos difíceis. “Conhecer seus pontos forte, entender as principais emoções e usar esse conhecimento a seu favor é importante para se relacionar melhor, entender os momentos de recuar e quando seguir à diante, ou quando se preservar.”

E você, pensa em melhorar a carreira com inteligência emocional? Comece neste ano com a Faculdade Pecege!

09 de Dezembro
19hs
Venture Building e as Startups e lançamento do "PECEGE Go Academy"
Palestrante - Joaquim Henrique da Cunha Filho
10 de Dezembro
19hs
Empreendedorismo como opção de carreira
Palestrante - Anderson Santos
11 de Dezembro
19hs
7 competências para acessar mercado
Palestrante - Eduardo Soriano