Blog

A tecnologia da informação e os processos organizacionais
Qual é a importância da Tecnologia da Informação (TI) para a vida das pessoas atualmente? Ou, ainda mais especificamente, para as organizações e seus processos? E mais uma coisa, o que é a chamada Inteligência Artificial (IA) e como ela pode ser aplicada no dia a dia das organizações?

A evolução da TI tem se acelerado nas últimas décadas. Isso se observa por diversas formas como, por exemplo, pelo aumento da capacidade de processamento dos chips ou do armazenamento dos discos rígidos. Também pode ser notada na diversidade de softwares disponíveis atualmente e, sobretudo, no progresso dos recursos relacionados à internet.

Com a difusão da TI, naturalmente há o aumento do volume e da diversidade de dados gerados e disponibilizados – o chamado Big Data. E quais são as consequências e os impactos disso paras as organizações e seus processos?

A gestão de processos depende totalmente dos dados do ambiente organizacional. Relacione isso ao enorme desenvolvimento tecnológico atual e ficará clara a importância da TI para se gerenciar os processos das organizações.

Contudo, os dados representam apenas o primeiro nível de agregação de valor para as organizações. Eles precisam ser transformados em informações, estas em conhecimento e, por fim, este deve ser elevado ao nível de inteligência. Basicamente, é a TI a responsável pela agregação de valor aos dados até o nível de inteligência.

Os sistemas transacionais são aqueles que permitem a entrada de dados das transações rotineiras da organização. Esses dados ficam armazenados em um banco de dados para processamento e geração de informações e gerenciamento do dia a dia da organização. No nível tático, ou gerencial, estão os sistemas de Apoio à Decisão, responsáveis pela transformação das informações em conhecimento, que é indispensável para as decisões gerenciais relacionadas ao tempo presente. Por fim, os sistemas de Apoio ao Executivo estão relacionados à criação de cenários futuros que são importantes para o direcionamento estratégico organizacional. Nesta situação, procura-se transformar o conhecimento em inteligência.

Para qualquer uma dessas aplicações a IA contribui cada vez mais e de forma mais decisiva na competitividade das organizações. Tecnologias como o RFiD, a Computação em nuvem, a IoT (internet das coisas), o mobile (como os smartphones e tablets) e a web 3.0 participam ativamente das aplicações que envolvem IA. Juntamente com a web semântica, a realidade aumentada, as redes neurais, o OLAP, o iBMDS, os algoritmos genéticos, entre outros, a inteligência artificial permite que os gestores automatizem os processos e extraiam conhecimento compartilhado deles, de forma a criar, em tempo de uso, a inteligência aplicada, isto é, a prospecção e a antecipação de ações e cenários relacionados aos clientes, competidores, fornecedores, aspectos econômicos e internacionais, entre outros.

Estamos apenas iniciando uma nova era na Tecnologia da Informação, na qual a Inteligência Artificial fará parte de nosso cotidiano, por meio dos inúmeros processos que nos acompanham, desde a realização de um pedido e sua entrega em alguns minutos até o gerenciamento de toda uma cadeia de suprimentos.

Artigo escrito por Alexandre Rodrigues, professor do curso de Tecnologia em Processos Gerenciais da Faculdade Pecege.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *