Pensa em empreender? Então você precisa conhecer o BMC!

Empreender é uma das possibilidades do mercado de trabalho que vem se tornando cada dia mais atrativa para os profissionais. Quem considera ser dono do seu próprio negócio precisa conhecer o BMC (Business Model Canvas, ou Canvas de Modelo de Negócio).

A ferramenta, muito popular entre jovens empreendedores, pode te ajudar a mapear por onde começar o desenvolvimento da sua marca e tirar sua ideia do papel. Ela é muito utilizada no momento do brainstorm, quando as ideias estão precisando de um direcionamento para serem organizadas.

O BMC foi desenvolvido pelo empreendedor suíço Alex Osterwalder e a ideia é que um negócio seja completamente visualizado em uma única página. Para isso, é preciso dividir um quadro em nove partes que englobam as quatro áreas consideradas como principais em um negócio: clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira.

Seu formato de quadro/diagrama (e não somente texto), facilita a visualização: só de olhar para o desenho do modelo de negócio é possível compreender os nove blocos, comparar e relacionar os conteúdos deles.

Isso significa que, se você precisar de ajuda na hora de empreender, pessoas que não estão diretamente envolvidas com a montagem do BMC conseguem opinar e contribuir com o projeto de forma objetiva e eficaz.

Aplicação

Quando falamos em empreender, esse conceito pode ir além de simplesmente inaugurar uma empresa. Também serve para a aplicação de projetos de inovação e estratégia em empresas já consolidadas. Assim como o BMC.

A ferramenta permite rever ou repensar um modelo de negócio e até analisar a concorrência.

Plano visual e simplificado

Considerado uma ferramenta mais interativa e prática, o BMC tem vantagens para quem vai empreender. Os planos de negócios tradicionais podem ser muito engessados. Assim, com esse diagrama, podemos ter uma visão geral de como é ou será o funcionamento da empresa e definir as principais ideias com mais flexbilidade.

Além disso, ele auxilia na organização de ações, já que todas as principais variáveis de um negócio estão representadas graficamente e conseguem mostrar de forma clara os valores da empresa.

Na hora de empreender e começar seu negócio do zero, o BMC ajuda no primeiro passo, que é a definição de clientes. Para as empresas já existentes, a ferramenta serve para avaliações de desempenho do negócio, por exemplo.

Para empreender e muito mais

O BMC também pode ser aplicado em outras situações, relacionadas ao processo de empreender. Confira alguns cenários:

  • Para compartilhar a visão global do negócio com colaboradores e stakeholders, para que não existam dúvidas sobre suas respectivas funções e sobre o funcionamento geral da organização;
  • Para alinhar ideias entre os sócios da organização, facilitando o debate e visualização das diferentes opiniões sobre o negócio e descomplicando os processos de tomada de decisão;
  • Para atrair investidores, apresentando o negócio de forma rápida e direta, comprovando que o empreendimento é bem estruturado.

Monte o seu!

Se fazer um BMC está nos seus planos, saiba que é possível encontrar modelos prontos na internet ou criar o seu próprio. Como comentamos anteriormente, são nove blocos que se relacionam a quatro pilares:

  • Clientes (quem)
  • Oferta (o que)
  • Infraestrutura (como)
  • Viabilidade financeira (quanto)

Os nove blocos são:

  • Proposta de valor: elenque os benefícios oferecidos aos clientes e porque as pessoas se interessam por seu produto ou serviço. A dica é resumir isso em uma única frase.
  • Segmento de clientes: defina qual o perfil dos clientes, onde eles estão e quais são as necessidades em comum.
  • Canais: determine como chegar aos clientes, qual o melhor caminho para se comunicar com eles, como os clientes podem interagir com você e como você entregará seu valor.
  • Relacionamento: pense em estratégias para criar e manter um bom relacionamento com os clientes. Aqui vale pensar em como ir além de ser escolhido pelo preço mais baixo.
  • Receitas: como e quanto os clientes pagarão pelos seus benefícios? Considere opções além da venda tradicional, como aluguéis, assinaturas etc.
  • Recursos: relacione o que será necessário para empreender e fazer seu negócio funcionar. Não só máquinas e equipamentos, mas todo capital humano também.
  • Atividades: faça uma lista das principais atividades que farão o negócio funcionar corretamente.
  • Parcerias: indique fornecedores, parceiros e terceirizações necessárias para entregar sua oferta de valor.
  • Estrutura de custos: estabeleça tudo que será gasto para tirar seu negócio do papel, considerando todos os itens identificados acima.

Quer um exemplo para facilitar?

Vamos exemplificar com o Nubank. Veja como seria um possível BMC da empresa:

  • Proposta de valor: cartão de crédito 100% digital e sem anuidade
  • Segmento de clientes: jovens até 35 anos abertos à inovação e novas tecnologias
  • Canais: redes sociais, e-mail, aplicativo
  • Relacionamento: serviço de atendimento ao cliente personalizado em redes sociais, e-mail e chat no aplicativo
  • Receitas: percentual sobre transações e financiamento de faturas (juros)
  • Recursos: tecnologia e marca e cultura fortes
  • Atividades: atendimento e análise e concessão de crédito
  • Parcerias: bandeira de cartão de crédito (Mastercard, no caso) e fundos de investimentos
  • Estrutura de custos: equipe e estrutura física e tecnológica

Esse modelo foi resumido e com informações muito superficiais sobre a empresa. Você pode detalhar e aprofundar mais conforme tiver mais dados da sua.

Você já pensou em utilizar o BMC para empreender? Compartilhe suas experiências!

09 de Dezembro
19hs
Venture Building e as Startups e lançamento do "PECEGE Go Academy"
Palestrante - Joaquim Henrique da Cunha Filho
10 de Dezembro
19hs
Empreendedorismo como opção de carreira
Palestrante - Anderson Santos
11 de Dezembro
19hs
7 competências para acessar mercado
Palestrante - Eduardo Soriano