Blog

7 dicas para enfrentar uma entrevista de emprego

Algumas dúvidas são sempre companheiras dos candidatos a uma vaga de emprego. Como se portar, o que vestir, o que colocar no currículo e falar ou não sobre certos assuntos.

Para conquistar uma vaga não existem fórmulas ou métodos com garantia máxima. O que funciona e pode ajudar durante a seleção é um bom preparo e, principalmente, confiança. Mas é importante não confundir confiança com arrogância, pois todo desvio de comportamento é levado em conta.

Quando o assunto é preparo, existem algumas dicas valiosas para o grande momento. Vale lembrar que honestidade é a palavra-chave para a ocasião e deve ser usada com consciência dentro de todas as dicas.

Sem experiências, mas com bagagem

Esse é o maior fator de insegurança daqueles que buscam a primeira oportunidade de emprego. Obviamente, ter experiências é um ótimo agregador de oportunidades, mas nem todos puderam trabalhar ou fazer estágios durante a graduação ou antes dela.

Uma alternativa é explorar outras experiências que soem positivas durante a entrevista de emprego. O recrutador olhou seu currículo antes de iniciar a conversa e sabe que esta é a sua primeira tentativa. Entretanto, ele espera que você demonstre capacidades através de resultados acadêmicos, participação em palestras, cursos de aperfeiçoamento, trabalhos voluntários, intercâmbios ou outras vivências.

Estude a empresa

Demonstrar interesse pela organização é tão importante quanto ter experiências. Isso porque já é possível saber se os valores da empresa estão alinhados com os seus e mostrar como isso é importante para você no momento da entrevista de emprego.

Quando a questão “porque você deseja trabalhar conosco” aparece, o que se deseja saber é se o candidato fez sua lição de casa. Ir só por ir para uma seleção, sem saber sobre o setor, gestão, modelo de negócios, missão, visão e valores da empresa é garantia de eliminação do processo seletivo.

Pergunte

Isso mesmo. As perguntas não são reservadas apenas aos recrutadores. Além de mostrar que pesquisou sobre a empresa, indique maior interesse perguntando sobre aspectos que não ficaram claros, como seu apelo social, hierarquia e características da vaga a ser preenchida.

Cuidado, entretanto, para não questionar sobre coisas que são de fácil acesso e encontradas na internet. Isso pode gerar uma impressão de que você é desatento ou preguiçoso. Pergunte sobre aspectos internos como programas de trainee, incentivo ao desenvolvimento, flexibilidade para que você estude e se atualize, por exemplo.

Atenção aos sinais corporais

Nervosismo é normal e quase todo mundo sente. É importante não deixar que ele te sabote nesse processo, pois todos os sinais corporais fazem parte da análise durante uma entrevista. Fique atento a gestos, fala, simpatia e educação.

Outro ponto importante é a vestimenta, que não segue uma regra clara pois depende muito da cultura organizacional da empresa. Se você a estudar com antecedência, saberá o que se encaixa melhor ou não na ocasião. Se estiver em dúvidas, opte por cores neutras e peças discretas.

Mentir, nem pensar!

Este é um assunto bem delicado, porque a pressão da situação acaba nos levando a tomar essa atitude. Ao perceber que temos poucas experiências ou que elas não parecem realmente incríveis, temos a tendência de “aumentar um ponto”, ou seja, contar uma mentira.

O recrutador é uma pessoa treinada para perceber esse tipo de deslize. Mentir, portanto, é uma atitude arriscada. Mesmo que a vaga já seja sua, em algum momento essa mentira poderá ser descoberta e comprometer sua imagem. Caso se encontre diante de um requisito que não atenda, seja sincero, explique a situação e se coloque disposto a aprendê-lo para fazer parte da empresa.

Exponha seus pontos fortes

Sempre que surgir essa questão, deixe claro sobre quais experiências teve e as habilidades que alcançou com elas. Faça uma linha do tempo contanto como conquistou cada ponto forte e positivo para o seu conhecimento profissional.

No caso do primeiro emprego, foque em tudo que envolveu sua formação. Dê atenção a trabalhos realizados, pesquisas, atividades extras, cursos de aperfeiçoamento, exposições que participou, projetos que realizou e o que mais constar no currículo acadêmico.

Mas reconheça os defeitos

Mais do que saber sobre suas qualidades, entender e expor seus defeitos também faz parte da entrevista de emprego. Essa pergunta vem sempre com a intenção de saber se o candidato sabe lidar com suas falhas sem fugir delas ou tentar mascará-las com qualidades.

Reconheça sua fraqueza e a coloque na resposta junto com um interesse de evolução. Esqueça o tradicional “sou muito perfeccionista” e foque em expor verdadeiramente o que pode ser uma barreira para você e como acha que ela pode ser vencida dentro do ambiente de trabalho.

Veja também por que fazer uma faculdade enquanto trabalha.