Blog

Quais são as tendências na gestão de pessoas?

Assim como o mundo vem mudando, ambientes de trabalho e vida profissional não ficam atrás. Além de diretamente ligada ao bem estar das pessoas que participam de uma organização, a gestão de pessoas vem se adaptando para ser agente dessas evoluções.

Tecnologia que se renova constantemente, inovação nos modelos de negócio, alteração nas relações entre empregados e empregadores são algumas das mudanças significativas para as estratégias dentro dos recursos humanos.

Para se ter uma boa ideia, alguns modelos antigos de gestão já não se encaixam nessas novas estruturas. Quer conhecer quais tendências estão fortes nessa área? O blog da Faculdade Pecege listou algumas das mais importantes.

Big Data e tomada de decisões

Essa é uma grande promessa para os recursos humanos e consiste em usar uma série de dados para garantir mais estratégias na gestão de pessoas. Com isso é mais fácil alcançar melhores resultados para a empresa.

A ideia é coletar dados de fontes internas ou externas e organizá-los da melhor forma na tomada de decisões. Não sabe por onde começar? Sistemas de gestão de pessoas, planilhas, internet e site de vagas são alguns dos principais exemplos.

As aplicações para o Big Data não são poucas. Ao cruzar dados, é possível encontrar perfis profissionais que mais se encaixam na empresa, além de saber em quais regiões esses candidatos estão, facilitando o recrutamento e seleção de força humana.

RH automatizado

Controles por papel e planilhas manuais estão bem perto do fim. As transformações digitais também mudaram a forma de comunicação da empresa, melhorando a experiência do colaborador.

Os avanços estão presentes na gestão dos recursos humanos e até mesmo no controle de ponto e distribuição de holerites. O controle de ponto digital, inclusive, ajuda a lidar com as novas relações de empregos e monitorar a jornada de trabalhadores externos ou em home office.

Esse tipo de tecnologia traz a facilidade de automatizar processos que precisavam de muitas horas de trabalho manual. Cálculo de horas extras, pagamento de adicionais noturno, de insalubridade e periculosidade são alguns dos exemplos.

Observação do comportamento

Muito além da avaliação de desempenho, a gestão de pessoas deve dar especial atenção ao perfil comportamental de um indivíduo. Ela pode influenciar o sucesso da organização e despertar paixão dos colaboradores. Para isso, entram em cena as plataformas de gestão do comportamento.

Com elas, fica mais fácil mapear os perfis dos colaboradores e até mesmo dos candidatos a uma vaga. De acordo com quatro variáveis, é possível chegar à seguinte classificação: dominância, influência, estabilidade e conformidade, perfis mais comuns vistos em empresas.

Outro ponto de possibilidade é o desenvolvimento de novas competências e aumento da gestão do profissional do RH, garantindo uma melhor performance dos colaboradores. Ficou curioso? Em resumo, esse tipo de plataforma conseguirá melhorar a assiduidade, permanência e produtividade dentro da organização.

Experiência do colaborador

Investir na experiência do colaborador auxilia no contato mais próximo e humano, além de oferecer interações positivas e construir uma relação baseada em confiança, credibilidade e engajamento de todos.

Com a atenção dedicada a essas experiências, são traçadas estratégias de inovação e motivação, retenção e comunicação, com uso de redes sociais corporativas e realidade aumentada para treinamentos práticos, mantendo a todos focados nos mesmos objetivos.

A linguagem usada e a mensagem transmitida devem estar alinhadas à forma com que o público está acostumado a se comunicar. Portanto, nada de linguagens que entrem em conflito com o perfil dos funcionários.

Fazem parte também da experiência do colaborador a promoção de espaços de trabalho mais confortáveis, trabalho remoto e mobilidade corporativa.

Melhor desempenho das equipes

Os investimentos em treinamento e desenvolvimento deixam de ter foco no técnico-operacional para incentivar as competências necessárias para que as equipes de trabalho façam a própria gestão de suas tarefas, dispensando (ou minimizando) a necessidade de supervisão constante.

Esses treinamentos buscam uma integração entre equipes e coordenação das competências de cada pessoa para que as atividades sejam cumpridas dentro do prazo, com a maior qualidade possível e sem o uso de hierarquias.

O investimento em equipes de alto desempenho também é bom para a formação de equipes multidisciplinares e flexíveis, aquelas em que cada um sabe fazer um pouco de tudo ou compartilha opiniões que ajudarão a outros membros do grupo.

Feedbacks constantes

Avaliar periodicamente os colaboradores, mostrando pontos fortes e fracos e quais devem ser trabalhados por meio de treinamento é uma das práticas da gestão de pessoas que deve ser colocada em prioridade. Por atualizar a qualificação pessoal, essa estratégia não deve ser feita apenas de forma semestral.

Substituindo essa frequência, o feedback contínuo melhora a comunicação e também o aprendizado. Assim que o colaborador sabe como está sua imagem dentro da empresa ele tem a oportunidade de avaliar suas atitudes e melhorar sua performance, seja técnica ou comportamental.

A prática evita também o acúmulo de falhas que podem ser motivos para constantes trocas de funcionários, mantendo os colaboradores sempre conscientes de quais pontos podem ser trabalhados.

Bem-estar corporativo

Qualidade de vida não é uma novidade, mas deve ser sempre uma pauta para a gestão de pessoas, já que esse é um objetivo pessoal. Cada profissional tem uma meta diferente para alcançar o bem-estar e cabe à empresa respeitar essas metas.

Novamente, as mudanças no mundo atual são muitas, inclusive quando falamos de recompensas. As pessoas têm buscado cada vez mais benefícios que não estão ligados ao financeiro.

Vale muito oferecer para o quadro de funcionários outros tipos de bonificações, como convênios com academias, clubes e spas; programas de nutrição; benefícios em forma de viagens; e jornada de trabalho flexível, quando não totalmente em home office. Essas são algumas das medidas tomadas para promover a saúde e o bem-estar dos trabalhadores, que devolvem esse investimento em forma de produtividade, resultados e satisfação.

Agora que você sabe sobre as tendências, que tal conhecer as características de um bom gestor?